BREU

Sempre tive dificuldade em aceitar o rótulo de artista.
Ao longo da minha busca na fotografia, na qual trilhei diversos caminhos, essa questão sempre esteve presente.
Em alguns momentos, acabei por conviver mais de perto com pessoas que vivem de arte. E fiz questão de viver essa experiência. Inevitavelmente, os observei.
Nesse aprendizado, pude acompanhar o processo criativo de alguns e defini que, para mim, artista é aquele que consegue expressar suas dores e questionamentos de forma que os outros entendam, sintam e façam parte daquilo.
Claro que essa visão é muito pessoal, é minha forma de ver. Até porque toda interpretação da arte é totalmente subjetiva.
Mas o fato é que fui percebendo que, de alguma forma, todos nós passamos por momentos assim. Alguns conseguem mais facilmente materializar, outros menos. 
Portanto, cabe a cada um viver esses instantes, ainda que não seja um processo contínuo. E é o que tenho tentado fazer: a partir dos meus processos pessoais, produzo e tento materializar o que sinto. 
Esse ensaio é resultado de um deles. Se pelo menos uma pessoa for capaz de senti-lo, já terá valido a pena.

Date: 2019